Uma Alimentação saudável para o Coração deve incluir Nozes da Macadâmia

 

 

As nozes da macadâmia, quando incluídas numa alimentação saudável, reduzem os níveis de LDL (mau colesterol) e devem ter a denominação de “nozes com benefícios para a saúde qualificados”, dizem os investigadores.

“Debruçámo-nos nas nozes da macadâmia porque não estão de momento incluídas nos produtos benéficos para a saúde, enquanto que outros, mesmo frutos secos, são recomendados como parte integrante de uma alimentação saudável,” disse o Dr. Amy E. Griel, um médico principal do Hospital  Penn State e agora Cientista Sénior em Nutrição na empresa The Hershey. “As nozes da macadamia possuem níveis muito elevados de gorduras monoinsaturadas, como as encontradas no azeite, por exemplo.”

“Os estudos epidemiológicos demonstram que as pessoas que são consumidoras frequentes de nozes reduzem o risco de contrair problemas coronários e outras complicações do mesmo foro,” afirmou Penny Kris-Etherton, co-autor e professor distinguido de ciências nutricionais.

Os investigadores realizaram um estudo controlado, em que comparam uma alimentação saudável para o coração (com nozes da macadâmia) e uma alimentação típica ocidental. Os participantes possuíam níveis ligeiramente elevados de colesterol, pressão sanguínea normal e não estavam a tomar medicamentos para reduzir as gorduras. Os investigadores escolheram aleatoriamente participantes para integrarem os grupos e forneceram as duas dietas em separado ao longo de cinco semanas.

Os participantes que integraram a alimentação com nozes da macadâmia reduziram o colesterol total, reduziram o LDL (mau colesterol) e os níveis de triglicéridos quando comparados com os indivíduos que integraram o grupo da alimentação ocidental. O relatório diz que a redução, no caso das nozes da macadâmia, foi de 9.4% de colesterol total e de 8.9% de LDL.

Níveis calóricos individuais foram estudados para cada participante de modo a não ganhar ou perder peso durante o estudo. Ambas as dietas equipararam-se em gorduras total, contendo 33% das calorias provenientes de gorduras. O grupo da alimentação com nozes tinha 7% de gorduras saturada, 18% de gordura monoinsaturada e 5% de gordura polinsaturada. O grupo da alimentação típica ocidental tinha 13% de gordura saturada, 11% de gordura monoinsaturada e 5% de gordura polinsaturada.

“Descobrimos que a redução de LDL, ou de mau colesterol, foi superior ao esperado apenas através das gorduras benéficas presentes nas nozes,” afirma Griel. “Isto significa que existe algo mais nas nozes que ajuda a reduzir o colesterol e que o nosso trabalho é descobrir exactamente o quê”.

Fonte: Medical News Today

 

 

Voltar a Notícias